terça-feira, 15 de agosto de 2017

"Eu escolho um homem que não duvide da minha coragem,
que não me acredite inocente,
que tenha a coragem de me tratar como uma mulher."

Anais Nin


quinta-feira, 10 de agosto de 2017

(Dizem que a Primavera chega trocando a roupa da paisagem). E no auge da sua descrença o dia amanheceu de novo. Quando não queria mais fugir de si mesma, foi surpreendida por uma voz de timbre limpo, olhos atenciosos e mãos que diziam coisas. Era alguém que tranqüilizava quando apenas sorria. Uma pessoa que trazia em si o amparo de tudo. Tinha o dom da conveniência e da clareza e pronunciava reciprocidade.

O fato resumindo é que o amor não era mais aquele estardalhaço. O amor era suave e tinha um jeito de penetrar sem invadir, de libertar no abraço. O amor não era mais aquela insônia, mas sonho bom na entrega ao desconhecido. O amor não era mais a iminência de um conflito, mas uma confiança na vida. E, pela primeira vez, o amor não carregava resquícios de abandono, pois havia descoberto: o amor estava ali porque ambos estavam prontos.
(O Tempo estava certo.)

Uma nova estação - Marla de Queiroz


Há três espécies de mulheres neste mundo: a mulher que se admira, a mulher que se deseja e a mulher que se ama. A beleza, o espírito, a graça, os dotes da alma e do corpo geram a admiração. Certas formas, certo ar voluptuoso, criam o desejo. O que produz o amor, não se sabe; é tudo isto às vezes; é mais do que isto, não é nada disto. Não sei o que é; mas sei que se pode admirar uma mulher sem a desejar, que se pode desejar sem a amar. O amor não está definido, nem o pode ser nunca. O amor verdadeiro...

Almeida Garrett


sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Encontrar você por essas ruas tão erradas, foi como sair do piloto automatico e começar a dirigir minha vida novamente. Aquele peito feito de pedra, de repente virou algodão. Algodão doce.

Minha vontade era gritar até que você me ouvisse em seu mundo, era pra ser como eu sonhei a vida inteira. E foi. Foi mais, porque foi no momento em que eu não esperava mais nada de ninguém. E você estava lá, me mostrando muito mais que toda a perfeição em si que eu enchergava, me mostrava mais que os meus olhos podiam ver.

Um dia. E eu já sabia que você podia transformar minha vida.

Uma semana. E eu já daria uma vida pra viver ao seu lado.

Seja como for, com o tempo que for.

É com você que eu sonhei a vida inteira. Vida com gosto de algodão doce.

(Clarice Lispector)